Vestibular é um jogo

Quando estou conversando com meus alunos, costumo sempre comparar o vestibular com um jogo. Que me perdoem as meninas (elas sempre reclamam quando eu faço isso!), mas devido à minha confessa parcialidade me sinto obrigado a fazer comparações com esse irritante momento ludopédio das quartas e domingos. De qualquer forma, vamos lá!.

Assim como os boleiros, os vestibulandos para ganharem sua partida (que tem a duração de um ano inteiro), têm que conhecer todas as regras do jogo; estudar o seu adversário, conhecendo seus pontos fortes e fracos; aproveitar o corpo descansado para que no primeiro tempo (ops… primeiro semestre) consiga imprimir um ritmo forte (sic); descansar e avaliar suas jogadas e postura em campo durante o intervalo (férias, tão justas quanto imprescindíveis), manter a pegada (sic) na volta para o campo e ao final (independente do resultado) realizar uma nova avaliação do que foi feito.

Aqui cabe uma observação: aqueles que não tem a possibilidade de se preparar durante um ano inteiro para o vestibular terão que adotar técnicas especiais de estudo, otimizar seu tempo e se dedicar mais intensamente para estarem em pé de igualdade com os outros candidatos na hora do exame.
Antes de seguirmos em frente, vamos verificar se não ficou nada para trás: você realmente sabe qual o seu objetivo e como alcançá-lo? Qual carreira quer seguir e em qual universidade? Conhece os vestibulares que vai prestar (formato, conteúdo, vertentes das questões)? Se para alguma das minhas perguntas anteriores a resposta foi negativa, não perca tempo! Em paralelo com seus estudos procure recuperar o tempo perdido.

Lembre-se de que você tem uma meta: passar no vestibular!

Para ajudar, os dois maiores conselhos que eu posso dar no momento são:

• Fique atento aos dias das provas que pretende prestar, avalie o conteúdo que ainda falta estudar e o divida de modo a cobrir tudo aquilo que é exigido na prova;
• Não tente fazer nenhum tipo de revisão no momento, deixe isso para um mês antes da prova (se houver tempo).

Não desanime! Falta pouco para acabar! Sei que muitas vezes o cansaço bate e que temos vontade de desistir. Lembre-se de que você deve fazer o melhor que pode, se dedicar ao máximo e deixar o jogo seguir.
Uma outra consideração: vestibular, assim como uma partida de futebol, é um jogo coletivo, e assim sendo eu pergunto: você sabe quem são seus companheiros de equipe? Você utiliza da ajuda de seus aliados? Essas pessoas a que me refiro são aqueles que te acompanham nessa batalha e que podem e querem ajudar. Pais, colegas, professores, todos esses são os seus companheiros de luta. Pare para pensar em como cada uma dessas pessoas que te cercam podem ajudar e terá grandes surpresas.

Você costuma estudar em grupo? Certamente existem matérias que você não tem muita facilidade, será que não existe ninguém no seu grupo que não possa te ajudar, montando um grupo de estudos? Assim você aprende mais e também ajuda seu amigo a retomar a matéria.

Como seus pais colaboram com a sua preparação? Eles criam um ambiente saudável de estudo (horários regrados, alimentação saudável, ambiente calmo e organizado, incentivos, ausência de cobranças e críticas)? Se a resposta for não, converse com eles e explique que você precisa da ajuda deles e os ensine como podem ajudá-lo. Muitas vezes eles não sabem sobre a importância que têm nos seus estudos, muito menos sobre o que podem fazer para ajudar, confie em mim! Ajude-os a ajudá-lo!

Você faz todas as perguntas que precisa aos seus professores (atuais e antigos)? Não tenha medo de fazer perguntas. Aproveite enquanto você é aluno para fazê-las, essa é a maior vantagem da sua posição! Não tenha medo de se sentir ridicularizado por ter feito uma pergunta, afinal se você a tem, ela é importante!

Enfim, bola pra frente! Se prepare e jogue o melhor que puder e certamente, independente do resultado, você já será um vencedor!

Um grande abraço e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Top