As vantagens das agências full service

As vantagens das agências full service

por gestão 0 comentários Frequentemente vemos no mercado empresas que contratam diversas agências para que cada uma delas cuide de uma parte de sua comunicação. Um fornecedor para as mídias impressas, outro para Campanhas Google, um terceiro para desenvolver e atualizar o site e assim por diante. Tudo isso gera um conjunto de parceiros que além de oneroso e traz diversas dificuldades de gerenciamento e manutenção de uniformidade nos serviços. Com a profusão de serviços de divulgação online, nasceu a necessidade de existir agências que pudessem centralizar as contas das empresas. Uma agência de comunicação é chamada de full service quando apresenta aos seus clientes esse conjunto completo de soluções, sendo capaz de desenvolver trabalhos em todas as áreas críticas de exposição de uma marca, produto ou serviço para o seu mercado. Assim como uma orquestra precisa de um regente competente, conhecedor de cada instrumento, com um ouvido aguçado e com um profundo conhecimento da peça que está executando, uma empresa que se preocupa com todas as vertentes de seu diálogo com o seu público-alvo necessita de uma agência que tenha em mãos um conjunto completo e aprofundado de diversas ferramentas e saiba lançar mão delas no momento certo, de acordo com uma estratégia pré-definida e com leia mais

Hatun

por gestão 0 comentários Hatun, significa em árabe a “grande dama”, e é o nome dado à primeira esposa de um sultão que, naturalmente, possuía todas as regalias e poderes inerentes à sua posição, além de todo zelo que ela é tratada. Todo negócio também a sua grande dama, que é o seu nicho de marcado mais importante, aquele que sustenta as outras incursões no mercado da empresa, porém muitas vezes não é dada a devida importância a ele, ou pior, nem sabe da sua existência. Muitas vezes chamada de Santuário de Lucros, essa fatia da clientela que é fiel consumidora, que tem um vínculo afetivo com a marca, que corresponde financeiramente com os interesses do núcleo do negócio de uma empresa deve ser tratada com todo cuidado e atenção em todos os níveis de uma estrutura empresarial. Além disso, ela deve ficar atenta aos movimentos da concorrência em eventuais avanços em seu Santuário. O empresário deve estar sempre atento aos fatores internos e externos que podem de alguma maneira interferir nesse grupo de consumidores e agir rapidamente quando existe alguma ameaça ou oportunidade. Identificar esse nicho, protege-lo e amplia-lo é o desafio de todo gestor pois tratar bem a sua dama é fundamental, ela merece leia mais

Quando uma empresa estola

por gestão 0 comentários Na aviação existe um fenômeno que assombra os pilotos, o estolar de uma aeronave. O termo estol vem do inglês stall, que representa a perda de sustentação ocasionada pelo descolamento do fluxo de ar nas asas, fazendo o avião entrar em queda livre. Quando um avião está entrando em estol o piloto deve rapidamente adotar algumas medidas de segurança para estabiliza-lo a fim de recuperar o horizonte de sua nave. Recentemente tivemos as notícias de alguns acidentes aéreos, sendo que todos eles se deveram ao tão temido estol. Esses tristes acontecimentos me levaram a estabelecer um paralelo entre a aviação e a condução empresarial. Enquanto o ar é o sustentáculo de qualquer avião, o fluxo de capital é o que mantém uma empresa funcionando; pensando dessa maneira é possível imaginar que um dos motivos que mais leva uma empresa a declarar falência é o volume do fluxo financeiro abaixo do mínimo necessário para honrar seus custos ordinários, ou seja, em uma situação dessas, a empresa entrou em estol. Antes de estolar, uma das formas principais de retomar a sustentação da aeronave é forçar o bico dela para baixo, a fim de aumentar a velocidade do ar que passa pelas suas asas e leia mais

Prateleiras infinitas

por gestão 0 comentários Para que um lojista possa saber qual o preço que deve praticar, ele levanta o custo direto da venda de seus produtos (custo de produção; estocagem; comissão etc.), além de outros indiretos (marketing; gastos com funcionários; manutenção da estrutura; impostos etc.). Com base nesse conjunto de informações, junto com dados estratégicos, como valores praticados pela concorrência, preço que o cliente está disposto a pagar, lucratividade desejada entre outros, ele estabelece seus preços. Assim, reduzindo o custo e aumentando a exposição os lucros aumentam. Ao montar a sua loja, o empresário recebe os seus clientes, efetua suas vendas e faz girar o seu estoque gerando capital. Com o advento da Internet, esse sistema clássico de comércio foi amplificado para um terreno antes impensável, onde o custo de exposição cai a quase zero. Isso acontece porque enquanto em uma loja convencional o espaço nas prateleiras para expor cada produto tem um custo e é finito, o referente a uma loja virtual tem custo extremamente baixo e é virtualmente infinito, o que permite que o empresário apresente um conjunto enorme de produtos sem onerar o seu orçamento. Nesse contexto o custo de estocagem e exibição é reduzido e transferido para o de logística e leia mais

Internet, um direito fundamental do homem

por desenvolvimento pessoal 0 comentários A Internet é um espaço livre e democrático onde todos tem o direito de expressar seus pensamentos e posições, ter acesso livre a conteúdos e se relacionar com outros internautas em qualquer ponto do mundo, desde que não haja crime consensual entre os países, como ódio racial ou pornografia infantil, essa é a divulgação que a ONU fez colocando o acesso a  Internet e com ela livre de manipulação estatal como novo direito fundamental de cada ser humano, ao lado do acesso à saúde, educação e moradia. A onda de censura a sites, cerceamento de acessos à Internet e prisões de blogueiros ao redor do planeta chamou a atenção da ONU especialmente pelo fato de terem em comum na maior parte das vezes a vontade do governo de conter a distribuição de informações que potencialmente poderiam colocar em risco sua manutenção no poder. Agora, a violação esse novo direito pode ser enquadrada como crime internacional à semelhança da pena e da pesada multa recebida por Hosni Mubarack, ex-presidente do Egito, por ter desconectado o país da Internet no período de rebelião contra seu governo, que culminou em sua deposição. Esse é o indício que a nova fronteira de discussão e luta que envolve leia mais

Origem da arroba e seu uso na informática

por gestão, história 0 comentários A origem da arroba remonta a idade média, onde copistas escreviam livros à mão e para simplificar seus trabalhos, aos moldes da taquigrafia, criavam seus próprios símbolos, entre eles o til (um n estilizado), o “e” comercial “&” (uma abreviação da expressão latina et – um entrelaçamento dessas duas letras), chamado em inglês de ampersand e a arroba “@”. Utilizando o mesmo recurso de entrelaçamento de letras usado no &, o @ representava a preposição latina ad, que significava, entre outros, o sentido de “casa de”. Mesmo depois do advento da imprensa, alguns símbolos copistas permaneceram, como o & e o @, especialmente nas contabilidades. Não raro encontravam-se registros como “5@£2”, que significava 5 unidades ao preço de 2 libras. Nesse período, o símbolo @ já era conhecido, em inglês, como “at” (a ou em). Já no século XIX, os portos catalães (nordeste da Espanha) procuravam imitar os registros do comércio inglês e passou a conhecer o símbolo @. Porém, como desconheciam o sentido que era dado na Inglaterra para ele, imaginavam que pudesse representar uma unidade de peso, uma vez que utilizavam a unidade “arroba” (mais ou menos 15 kg), do árabe “ar-ruba” que significa “a quarta parte” da medida de peso leia mais

História do Google

por história 0 comentários

O Surgimento do Google

A empresa Google Inc. foi fundada em 04 de Setembro de 1998, mas seu projeto começou em Janeiro de 1996 por dois alunos de PhD da Universidade de Stanford, na Califórnia, chamados Larry Page e Sergey Mikhailovich Brin. Clique aqui para ler o trabalho acadêmico elaborado por eles e que foi o marco zero dessa empresa que revolucionou o modo que as pessoas se relacionam com a Internet. Abaixo vemos a primeira tela do Google, quando foi lançado em 1998, perceba que vemos uma página com um design bem simples. Isso aconteceu porque tanto o Lary, quanto o Sergey não sabiam muito sobre HTML, a linguagem para desenhar páginas na web.

O Google surgiu em um momento que a Internet enfrentava uma expansão sem precedentes, com um crescimento desordenado e com métodos de busca de sites extremamente precários, onde a respostas para pesquisas era totalmente insatisfatória, uma vez que retornavam diversas páginas que não tinham qualquer relação com o interesse do usuário. Outros buscadores (ou radares), como o Yahoo!, Altavista, AOL e alguns do Brasil, como o Cadê?  (primeiro site do busca do Brasil em 1995) ou o Radar UOL, retornavam resultados imprecisos e muitas vezes bem diferentes leia mais

O Surgimento da Internet

por história 0 comentários No dia 4 de Outubro de 1957 a União Soviética, em plena Guerra Fria, colocou em órbita o primeiro satélite artificial da história da Humanidade, chamado Sputnik, que permitia a comunicação em sinais de rádio com frequências de 20Mhz e 40Mhz para qualquer pessoa no planeta que possuísse um rádio. Esse avanço soviético ocorreu impulsionado pela corrida tecnológica que se desenrolava na época em contraposição aos EUA. Como reação a esse movimento da URSS, o presidente americano Eisenhower, nesse mesmo Outubro de 1957, criou a ARPA (Advanced Research Project Agency), que tinha como objetivo inicial efetuar pesquisas e desenvolver avanços tecnológicos na área aeroespacial, especialmente no setor de satélites. Como no verão de 1958 foi criada a NASA (National Aeronautics & Space Administration - www.nasa.gov), a agência ARPA perdeu em parte a sua razão de existir, uma vez que surgia um órgão muito mais poderoso politicamente e com um orçamento maior. Dessa maneira, a ARPA teve que modificar o foco de suas atividades, porém apenas três anos depois, em 1961, quando a Universidade da Califórnia (UCLA - www.ucla.edu) recebeu da Força Aérea Americana (USAF) um gigantesco computador da IBM, chamado Q-32, essa mudança ocorreu. Essa nova orientação se deu apontando para leia mais

O poder do just in time

por gestão 0 comentários Você, meu internético leitor, já deve ter ouvido falar da expressão just in time, criada para descrever linhas de produção na qual nada deve ser comprado, produzido ou transportado antes do momento ideal, ou seja, por exemplo, a matéria-prima chega na fábrica apenas no momento que vai ser de fato utilizada. Essa técnica de logística, utilizado por exemplo pela Toyota, serve para reduzir custos, trazendo inteligência à cadeia produtiva. Com o passar do tempo essa expressão foi derivando-se até ser utilizada pelo grande público atualmente para se referir a um processo que acontece com alta velocidade no momento que foi nascida a demanda. Assim, ouvimos várias vezes: “Vamos fazer a ação X just in time, rapidamente!” (inclusive muitas vezes sendo confundida com a expressão on demand, que representa a realização de uma tarefa sob demanda, ou seja, apenas quando solicitada pelo cliente ou usuário). De qualquer maneira, vamos conversar sobre a importância de fazermos as atividades com presteza e divulgá-las para os corretos destinatários rapidamente, mantendo a sua integridade. Em um mundo no qual as informações voam a uma velocidade impressionante, uma empresa deve se preocupar em manter contato com seus clientes, fornecedores e colaboradores na mesma medida de difusão. Para que leia mais

Internet x Língua Portuguesa

por gestão 0 comentários Você já deve ter percebido que existe uma língua única nascida no mundo virtual, que fraqueja o já combalido português correto. O nascimento de meios de expressão próprios é comum em tribos, com vistas na criação de sua identidade, fortalecendo os vínculos entre seus integrantes e repelindo estrangeiros. Por conta disso, vivenciamos essa realidade na imensa maioria das páginas da Internet, blogs, mídias sociais etc. A questão, foco desse artigo, reside no posicionamento do empresário frente a essa situação, sobre a sua preocupação com os textos apresentados aos seus clientes. O brasileiro escreve pouco e lê menos ainda e essa quantidade reduzida é de baixa qualidade, o que resulta na produção de textos pobres de forma e conteúdo. Por isso que é tão difícil encontrar um profissional que saiba escrever de maneira adequada. Não raro encontramos informações em sites comerciais com erros grosseiros de português (principalmente erros de concordância e de grafia), falta de cuidado com a digitação por parte dos web designers contratados e o que é pior, gírias cibernéticas. “Atravéz” e não através; “desepenho” ao invés de desempenho, “vc” no lugar de você são exemplos de problemas de texto extremamente comuns. Mesmo que estejamos trabalhando em um universo de livre expressão, leia mais
Top