Orientação para a execução de pesquisa de opinião pública

Orientação para a execução de pesquisa de opinião pública

por estatística 0 comentários

Uma pesquisa de opinião pública visa à obtenção de parâmetros de proporcionalidade existente entre seus constituintes acerca de determinado evento. Esses valores, pontuais e sujeitos a sazonalidades, devem ser interpretados como tal e apenas com uma consistência de levantamentos periódicos, é possível inferir tendências e evoluções, uma vez que o que será retratado na mesma será uma posição fixa da situação, dentro de uma margem de erro inerente, mensurável e controlável.

No corpo do presente artigo, será definida a estratégia de execução de uma pesquisa de campo, bem indicações para o correto cálculo das informações levantadas e a interpretação adequada dos valores obtidos. Assim como é necessária apenas uma pequena amostra de sangue coletada para a verificação da existência, por exemplo, de alguma doença, precisamos obter a informação de apenas um pequeno grupo de pessoas para conseguirmos inferir a distribuição global da mesma na população. A única ressalva que deve ser feita é a de que o grupo de teste (elementos-alvo da pesquisa) deve ser representativo dentro de seu universo; assim, por exemplo, caso a população apresente uma composição de 60% de homens e 40% mulheres, o grupo de análise deve seguir a mesma proporção, buscando recriar ao máximo o universo leia mais
Pensamento Estatístico na Gestão Estratégica por estatística, gestão 0

Pensamento Estatístico na Gestão Estratégica

Os dados, através de seus padrões e comportamentos, nos revelam informações imprescindíveis acerca do mundo que nos cerca. Constantemente, mais e mais conjuntos de números são gerados e solicitam que sejam analisados, compreendidos e transformados em informação. Com os adventos da computação e da comunicação, atualmente temos rápido acesso a uma infinidade de números e podemos gerar uma quantidade incrivelmente grande de novos valores dentro de nossas esferas de atuação social (trabalho, família, etc.). Essa “hiperventilação”* numérica, que defino como hipernumeração, aproxima de nós a necessidade de aprendermos a nos orientarmos dentro desse vasto universo, através de técnicas e instrumentação voltadas para a descrição e localização dos dados relevantes; a selecionarmos e auditarmos com vistas na confiabilidade e representatividade; e a interpretarmos os dados isoladamente e dentro de suas micro, meso ou macroestruturas e redes de relacionamentos, estabelecendo pontes lógicas e regras de encadeamento e ordenação. * Estabelecemos essa aproximação da gestão do conhecimento com o conceito de hiperventilação (exposição a uma quantidade enorme de ar, o qual pode levar uma pessoa ao sufocamento), pois não raro encontramos situações em que as pessoas encontram-se defronte a massas gigantescas de dados, sendo humanamente impossível analisá-los em sua totalidade, através de todas as suas
Top