O Surgimento da Internet

No dia 4 de Outubro de 1957 a União Soviética, em plena Guerra Fria, colocou em órbita o primeiro satélite artificial da história da Humanidade, chamado Sputnik, que permitia a comunicação em sinais de rádio com frequências de 20Mhz e 40Mhz para qualquer pessoa no planeta que possuísse um rádio. Esse avanço soviético ocorreu impulsionado pela corrida tecnológica que se desenrolava na época em contraposição aos EUA.

Como reação a esse movimento da URSS, o presidente americano Eisenhower, nesse mesmo Outubro de 1957, criou a ARPA (Advanced Research Project Agency), que tinha como objetivo inicial efetuar pesquisas e desenvolver avanços tecnológicos na área aeroespacial, especialmente no setor de satélites.

Como no verão de 1958 foi criada a NASA (National Aeronautics & Space Administration – www.nasa.gov), a agência ARPA perdeu em parte a sua razão de existir, uma vez que surgia um órgão muito mais poderoso politicamente e com um orçamento maior. Dessa maneira, a ARPA teve que modificar o foco de suas atividades, porém apenas três anos depois, em 1961, quando a Universidade da Califórnia (UCLA – www.ucla.edu) recebeu da Força Aérea Americana (USAF) um gigantesco computador da IBM, chamado Q-32, essa mudança ocorreu.

Essa nova orientação se deu apontando para uma nova direção, o novíssimo ramo do conhecimento humano chamado Informática. Para liderar essa nova fase de pesquisas foi convidado o psicólogo e especialista em computadores Joseph Licklider, que inicou o processo de desenvolvimento de uma linguagem de troca de informações através de lotes (pacotes) de dados, bem como de uma rede de computadores que se comunicavam entre si, sem a necessidade de um computador central. Já em 1962 eram discutidos os conceitos da chamada Galactic Network (conhecida no Brasil como Rede Galáxica), que corresponderia a um grupo de computadores ao redor do mundo conectados entre si, onde todos os usuários poderiam acessar arquivos ou programas rapidamente, um conceito muito parecido com o da Internet como a conhecemos atualmente.

Essa mudança de paradigma acerca do armazenamento e distribuição de informações foi particularmente importante no período da Guerra Fria, onde qualquer advento poderia fazer pender a balança do equilíbrio de poder para um dos lados. Ter um controle maior e mais rápido das informações corresponderia a uma posição militar estratégica, além disso, o desenvolvimento de uma rede de acesso a informações descentralizada atendeu a um dos maiores medos dos militares americanos: um ataque ao Pentágono que comprometeria todas as trocas de informações vitais para a segurança americana, uma vez que todas as comunicações entre computadores eram feitas baseadas apenas em seus computadores centrais.

Uma rede segura e descentralizada resolveria o problema de possibilidade de vulnerabilidade da segurança americana, pois resguardava as informações armazenadas e o seu compartilhamento, no caso de um eventual ataque soviético.

Seguindo essas diretrizes foi desenvolvida uma rede chamada ARPANET que funcionava através de um sistema conhecido como chaveamento de pacotes, onde o conjunto de dados era transmitido através de pequenos pacotes (assim como concebido por Licklider).

No dia 29 de Outubro de 1969 foi realizado o primeiro envio de e-mail, tendo em seu corpo o texto: LOGIN, enviado pelo Professor Leonard Kleinrock da Universidade da Califórnia (UCLA), mas o computador que iria receber a mensagem, no Stanford Research Institute (www.sri.com), travou logo após receber a letra O!

Desenvolvimento da ARPANET

ARPANET era tão importante que no ano de 1972 foi rebatizada como DARPANET, tendo sido inserido o D de Defense para reforçar o controle do Pentágono em todas as transações de informações e disponibilidades de acesso à rede. Nessa época surgiu a ideia de criar uma rede internacional de computadores (International Network) e de uma rede de conexões de redes regionais e nacionais nos EUA (Interconnected Networks) que podiam compartilhar dados e ter acessos remotos entre si. Essas duas expressões cunharam a denominação Internet, que seria utilizada no futuro.

Quando em meados da década de 1970, as tensões existentes entre os EUA e a URSS já eram bem menores, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos permitiu que os cientistas que trabalhavam com pesquisas relacionadas à área da defesa, em suas respectivas universidades, pudessem acessar a DARPANET.

Rapidamente o sistema DARPANET não suportou tamanho volume de utilização e solicitações de novas conexões, o que levou no início dos anos 80 à divisão de todo o sistema em dois grupos: o MILNET, que gerenciava as localidades militares e a ARPANET que passaria a cuidar apenas dos não-militares.

Assim, com um ambiente de criação livre, rapidamente o crescimento e aperfeiçoamento da rede aconteceu, sendo utilizado por professores de universidades não relacionadas a desenvolvimentos de Defesa, alunos e demais pessoas relacionadas a elas. Rapidamente, os acessos foram sendo disponibilizados para pessoas que não faziam parte desses círculos.

Nasce a Internet

No ano de 1990 a ARPANET foi desmantelada e então substituída pela rede da NSF (National Science Foundation – http://www.nsf.gov/), sendo rebatizada para NSFNET que foi popularizada em todo mundo como Internet.

Para que fosse possível a expansão do uso da Internet por todo o mundo, foram fundamentais as criações da www (World Wide Web), desenvolvida em março de 1989, dos endereços dos sites (os chamados http), dos navegadores (web browsers), em outubro de 1990 e da linguagem de criação de sites HTML (HyperText Markup Language), também em 1990, no CERN (Centre Eoropéen por la Recherche Nucléaire – http://public.web.cern.ch/public/)  por dois engenheiros chamados Robert Caillaiu e Tim Berners-Lee.

O primeiro browser que foi utilizado chamava-se LYNX que transmitia apenas textos, sendo seguido pelo MOSAIC, que permitia a transmissão de textos e imagens. Os navegadores Netscape e o popular Internet Explorer derivaram do antigo MOSAIC.

No ano de 1991 foi disponibilizada a tecnologia www para uma utilização de forma mais ampla, após o CERN tomar uma decisão histórica de não cobrar royalties pela sua criação. Nesse momento, explodiu o acesso à Internet no mundo inteiro.

A Internet no Brasil

No Brasil a Internet começou apenas no ano de 1991 com a Rede Nacional de Pesquisa (a RNP), que compreende a um grupo de trabalho acadêmico relacionado ao Ministério da Ciência e Tecnologia e representa a espinha dorsal (backbone) do Internet nacional, uma vez que é a via primária até hoje de todos os acessos à rede.

Somente em 1995 o Ministério da Ciência e Tecnologia permitiu a exploração privada de acesso à Internet para a população brasileira, o que levou à popularização da mesma primeiramente nos grandes polos econômicos e posteriormente em outras localidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Top