O Bruto e o Líquido

Em um exercício resolvido em sala de aula apareceram os conceitos de Salário Bruto e Líquido e diante da curiosidade dos alunos frente ao tema, decidi escrever esse texto para apresentar as ideias que estão contidas nesses termos e, principalmente, trazer uma visão de mundo mais ampla e possibilitar uma instrumentação no tema, transversal à Matemática, que serve de pano de fundo para exercícios de porcentagem e que influenciará decisivamente a vida adulta dos alunos, balizando decisões financeiras e políticas.

Assim, é fundamental que a ideia de Bruto e Líquido esteja cristalina ainda no período escolar para que sirva de alicerce auxiliando o estudante em sua jornada pelos caminhos da descoberta dos mecanismos de funcionamento do mundo para o qual ele está sendo preparado para desenvolver os seus talentos, trabalhar e realizar seus sonhos.

Naturalmente, o presente texto não tem a pretensão de esgotar o tema, nem se enveredar por minúcias contábeis, tema de fato vasto e complexo, mas tão somente trazer alguns elementos relacionados ao capital, com vistas na ampliação dos horizontes financeiros dos alunos e no aguçar de suas curiosidades, além de oferecer alguns dados e caminhos para o aprofundamento em uma questão crucial do tema: a carga tributária brasileira.

Basicamente, aquilo que é chamado de Bruto na Contabilidade refere-se a determinado valor original, sem reduções, enquanto que o Líquido corresponde ao valor Bruto depois de efetuadas algumas deduções.

O Salário Bruto é aquele valor mensal que remunera o trabalho realizado pelo empregado, sendo este normalmente apontado em sua carteira de trabalho. Porém, esse valor não é efetivamente repassado ao trabalhador, uma vez que sobre esse rendimento podem incidir uma série de impostos e contribuições diretamente na fonte (antes de cair na conta do empregado, sem possibilidade, portanto, de decisão por parte de quem recebe).

O Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e a contribuição para a Previdência Social (INSS – Instituto Nacional do Seguro Social) figuram como elementos centrais de deduções que são aplicadas no Salário Bruto, sendo que outros abatimentos como o recebimento de certos benefícios como Vale Transporte ou Plano de Saúde, também aumentam a distância entre o Salário Bruto e o que efetivamente é depositado na conta do empregado, o chamado Salário Líquido, e que pode ser utilizado por este da forma que achar conveniente, como pagar suas contas, economizar etc.

Os vencimentos de um trabalhador privado ou público normalmente é apresentado através de um Holerite (também chamado de contracheque), no qual apresenta os dados da organização pagadora, os dados do trabalhador e a listagem dos proventos (receitas) e descontos referentes ao mês trabalhado. No rodapé desse documento figuram as somas dos Vencimentos (Salário Bruto), dos descontos e o Valor Líquido (Salário Líquido), como no exemplo abaixo:

salario

Um ponto importante que deve ser ressaltado é o fato de que o percentual dessas deduções de IRPF depende da faixa salarial recebido durante um ano, embora os cálculos devam ser realizados em termos anuais, para simplificar, temos abaixo a tabela de IRPF 2014 com as alíquotas (percentual a ser deduzido do Salário Bruto) sobre valores de rendimentos mensais.

 

Base de Cálculo (R$)

Alíquota (%)

Até 1.787,77

De 1.787,78 até 2.679,29

7,5

De 2.679,30 até 3.572,43

15

De 3.572,44 até 4.463,81

22,5

Acima de 4.463,81

27,5

 

Reparem que a tabela de IRPF mostra que o Brasil escalona o percentual de imposto de acordo com o quanto o assalariado recebe, sendo que quem recebe mais, paga proporcionalmente mais pelos seus rendimentos.

Esses valores desconsideram alguns gastos que o contribuinte pode vir a ter durante o ano e dessa forma, o governo permite que este faça uma Declaração de Imposto de Renda, onde ele deve informar todos os gastos que são, por força de lei, passíveis de dedução no Imposto de Renda (como gastos com Saúde, Previdência Privada, Educação por exemplo, tanto para si, quanto para seus dependentes). Se de fato o valor gasto for passível de dedução, o contribuinte pagou imposto a mais e em um determinado mês do ano seguinte, ele receberá a chamada Restituição do Imposto de Renda, que é a diferença entre o que foi pago e o que efetivamente deveria ter sido desembolsado.

A título de curiosidade e base para reflexão, embora o senso comum aponte para o fato de que o Brasil seja um dos países que mais paga imposto no mundo, com relação ao IRPF existem outros que tem essa carga tributária muito mais elevada. Segundo relatório de 2013 da consultoria KMPG (www.kpmg.com), que comparou o imposto de renda de 96 países do mundo, o país que tem maior imposto de renda é Aruba com uma alíquota máxima de 58,95%. Segue abaixo a lista dos 10 países que cobram impostos de renda de pessoa física mais altos no mundo:

1 – Aruba. 58,95%2 – Suécia. 56,60%3 – Dinamarca. 55,40%4 – Holanda. 52,00%

5 – (empate) Áustria. 50,0%

5 – Bélgica. 50,0%5 – Japão. 50,0%5 – Reino Unido. 50,0%9 – Finlândia. 49,2%

10 – Irlanda. 48%

 

(Obs.: Esse é o link para a ferramenta online desenvolvida pela KMPG para comparar as alíquotas mundo afora: http://bit.ly/1a76i98).

Resumindo, Salário Bruto é o valor que efetivamente tem o trabalho de determinada pessoa e Salário Líquido é o capital que esse trabalhador irá de fato ter à sua disposição, depois de efetuados os devidos descontos compulsórios (obrigatórios) e optativos. Vimos que o principal elemento de distanciamento entre o Salário Bruto e o Líquido é o Imposto de Renda de Pessoa Física, que é pago proporcionalmente ao seu rendimento.

Para refletir: Ter uma alta carga tributária é um aspecto bom ou ruim para um país?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Top