O Ambiente das Decisões

Diariamente, somos bombardeados com um conjunto enorme de informações e de forma consciente e inconsciente o meio em que estamos inseridos influencia nossas decisões. Somos induzidos a nos conectarmosa padrões mentais construídos sobre estereótipos criados pelas nossas experiências e então passamos a sentir, pensar, tomar decisões e agir conforme o significado dessa conexão em nosso sistema.

Um aspecto importante é que a ausência de ciência da influência do agente indutor não implica na falta de efeitos sobre uma pessoa, o que torna possível a utilização de elementos ambientais para influenciar alguém ou a nós mesmos para a adoção de determinado comportamento, sentimento ou pensamento.

Segundo Maria Konnikova, autora de Perspicácia (2013), “quando faz sol (…) as pessoas se dizem mais felizes e mais satisfeitas com a vida em geral do que em tempos chuvosos – sem que façam a menor ideia da ligação entre uma coisa e outra; acreditam-se piamente mais realizadas como indivíduos quando veem o sol brilhando em um céu azul (…)”. E relata ainda que “quando o tempo está nublado, os investidores ficam mais propensos a tomar decisões avessas ao risco; basta sair o sol, porém, para as escolhas de maior risco aumentarem”.

Esse conceito pode ser expandido para outros fatores ambientais, como luminosidade, temperatura, cores, aromas, texturas, formas, enfim, cada elemento conta na hora de induzir alguém (inclusive a si mesmo) a um determinado estado mental.

Com base nisso, como podemos utilizar essa informação no nosso cotidiano? De que forma o conhecimento e o pensar sobre a influência do ambiente nos seres humanos pode ser útil quando estamos interessados em fechar um negócio; em estudar para um prova difícil; ou então convencer a menina que somos os caras mais legais do mundo?

Usando o exemplo das condições meteorológicas, podemos adequar a nossa linguagem, a forma que os conceitos estão sendo expostos, ou ainda deixarmos tudo para outro dia que existam condições mais favoráveis. Esse conhecimento leva a algumas reflexões: se somos influenciados pelo ambiente externo, quando algo está sendo comprado, a escolha também está sendo direcionada por esses fatores. Ao vender uma ideia, por exemplo, podemos tomar o cuidado de exaltar as características condizentes com a predisposição gerada pelo clima (e pelos diversos fatores ambientais controlados ou não).

Tenhamos sempre em mente que cada detalhe conta, onde uma pessoa está sentada, o que está olhando, a qual temperatura está exposta, entre muitos outros fatores. Cabe ao observador atento saber utilizar esses elementos de forma a levar o outro (ou a si mesmo) ao estado desejado, conhecendo os aspectos simbólicos e relacionais da mente humana.

Como está a sua casa? Quais são as cores das paredes? Por quê? E o seu escritório ou qualquer outro ambiente que você utilize? Eles transmitem as ideias, sentimentos e pensamentos que você deseja para si e para aqueles que estão à sua volta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Top