Lua

A Lua (Latim: Luna) é o único satélite natural da Terra, é o quinto maior do Sistema Solar. A distância média de centro a centro da Terra à Lua é 384.403 km, o que é cerca de trinte vezes o diâmetro da Terra. A Lua tem um diâmetro de 3.474 km – um pouco mais do que um quarto da Terra, e cerca de dois terços da distância média leste-oeste dos Estados Unidos. Isso significa que o volume da Lua é cerca de 2 porcento do da Terra. A gravidade na Lua é cerca de 17 porcento do da Terra. A Lua faz uma órbita completa na Terra a cada 27,3 dias, e as variações periódicas na geometria do sistema Terra – Lua – Sol são responsáveis pelas fases lunares que se repetem a cada 29,5 dias.
A Lua é o único corpo celeste que os humanos já viajaram e pousaram. O primeiro objeto artificial a escapar da gravidade da Terra e a passar perto da Lua foi o soviético Luna 1, o primeiro objeto artificial a impactar na superfície lunar foi o Luna 2, e as primeiras fotografias do normalmente escondido lado escuro da Lua foi feito pelo Luna 3, todos em 1959. A primeira espaçonave a conseguir uma descida suave na Lua foi o Luna 9 e o primeiro veículo remoto a orbitar a Lua foi o Luna 10, ambos em 1966. O programa Apollo dos Estados Unidos cumpriu as únicas missões tripuladas até hoje, resultando em seis pousos entre 1969 e 1972. Explorações humanas na Lua cessaram com a conclusão do programa Apollo, embra diversos países terem anunciado planos para enviar pessoas ou espaçonaves robóticas para a Lua.

Nome e Etimologia

Diferentemente das luas de outros planetas, a lua da Terra não tem nome próprio em Português que não seja “a Lua” (com letra maiúscula).

A palavra lua (moon) é tem origem germânica, relacionada ao Latin mensis; é derivada em última análise da raiz Proto-Indo-Européia me-, também apresentada em measure (medida (de tempo)). Com relação às lembranças da sua importância na medida de tempo em termos de palavras encontramos derivados como Segunda (Monday), mês (month) e menstrual. Em inglês, a palavra lua (moon) representava exclusivamente “a Lua” até 1665, quando foi extendido para se referir aos recém-descobertos satélites naturais de outros planetas. A Lua é ocasionalmente referida pelo seu nome latino, Luna, para poder ser distinguida dos outros satélites naturais. Apresenta um adjetivo relacionado (lunar), e um prefixo adjetival seleno- ou sufixo adjetival –selene (da deidade grega Selene)

Superfície lunar

Os dois lados da Lua

A Lua está e rotação sincronizada, o que significa que ela mantém praticamente a mesma face voltada para a Terra durante todo o tempo. Antigamente na história da Lua, sua rotação foi ficando lenta e se tornou travada em sua configuração como um resultado dos efeitos friccionais associados com as deformações do efeito das marés causadas pela Terra.

Muito tempo atrás quando a Lua rotacionava muito mais rápido, a saliência do efeito das marés precedia a linha Terra-Lua porque não podia “dar um puxão” na saliência rápido o suficiente para manter a saliência alinhada com a Terra. A rotação varria a saliência além da linha Terra-Lua. Essa saliência fora-da-linha causava um torque, diminuindo o giro da Lua. Quando o giro da Lua diminuiu o suficiente para casar com a taxa orbital, então a saliência sempre ficou virada para a Terra, e o torque desapareceu. Esse é o motivo pelo qual a Lua rotaciona à mesma taxa do que sua órbita e nós sempre vemos o mesmo lado da Lua.

Pequenas variações (librações) no ângulo pelo qual a Lua é vista permite que cerca de 59% da superfície seja vista da Terra (ma apenas metade em qualquer instante).

O lado da Lua que fica voltado para a Terra é chamado lado próximo, e o lado oposto, o lado longe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Top