Arquivos do Site

A Intersecção da Publicidade

por educação, gestão 0 comentários Você sabia que quando uma empresa quer vender seus produtos ou serviços, ela precisa conhecer a Teoria dos Conjuntos? Cada atividade econômica tem um público-alvo, ou seja, um grupo (conjunto) de pessoas que potencialmente precisam daquilo que está sendo produzido ou serviço que se deseja prestar. Definir, localizar e alcançar essas pessoas-chave (consumidores em potencial) é um fator tão crítico quanto complexo para qualquer empreendimento e para que seja bem executado, é necessária uma série de habilidades e conhecimentos, além de experiência e sensibilidade. Saber qual o seu público-alvo, onde se encontra, quais suas características comuns e o que deseja são exemplos de especificações fundamentais para que o empresário saiba de que maneira será empregado a sua verba de publicidade. Dentro desse cenário, quanto melhor definido esse público de interesse, maior será o retorno sobre o investimento em publicidade. Se essa informação não estiver muito bem  definida, o capital pode estar sendo sub ou superutilizado, o que em qualquer um dos casos é ruim para os negócios. Caso seja feita uma ação publicitária para um conjunto de pessoas menor do que o público-alvo ideal da empresa, alguns potenciais clientes não estarão sendo alcançados, enquanto que se essa ação for executada para um conjunto maior leia mais

Algoritimo comparativo multidimensional ordenado

por estatística, gestão 0 comentários

Quando da necessidade de estruturarmos um modelo parametrizador de tomada de decisões, se faz necessário determinar os pesos relativos aos elementos componentes dos grupos originadores, de modo a estabelecer os critérios capazes de criar um modelo que agregue, da melhor forma possível, os valores intrínsecos de todos os agrupamentos primordiais, estabelecendo dessa forma, um instrumento catalisador que tem a possibilidade de ser utilizado como parâmetro de proximidade entre os novos elementos constantes e o modelo em si.

Dessa forma, podemos mensurar a distância existente entre esses elementos que estão sendo sujeitos a comparação e nosso modelo, previamente estabelecido. Essa estrutura parametrizadora tem a possibilidade de retroalimentar todo o sistema comparativo à medida que são inseridos novos componentes no mesmo através de grupos de Inteligência Artificial, uma vez que é possível redefinir suas características tão logo tenhamos um novo elemento originador venha a ser inserido no grupo primordial. Assim, por exemplo, se tivermos o grupo de conjuntos A = {A1; A2; ... ; An}, compostos pela matriz de parâmetros {{a11; a12; ... ; a1n}; {a21; a22; a2n}; ... ; {an1; an2; ... ; ann}}, com seus pesos pré-definidos P = {p1; p2; ... ; pn} gerando o modelo M, contendo os parâmetros leia mais

Business Plan – A importância de um Plano de Negócios

por gestão 0 comentários

Quando um empreendedor tem uma ideia, um projeto para implantar é necessário criar um planejamento estruturado com vistas na correta análise situacional e execução através de passos logicamente postados e estabelecidos de forma clara e consistente.

Da mesma forma que um navegador precisa ter muito bem estabelecido o seu roteiro de viagem, o plano de negócios serve de mapa para o idealizador e parceiros compreenderem a empreitada na qual estes estarão envolvidos no decorrer dos trabalhos. Além do Plano de Negócios servir como guia, também representa uma valiosa ferramenta na análise do meio no qual o projeto estará inserido.

Por fim, o Plano de Negócios serve também para expor para investidores o nível de factibilidade e atratividade financeira do projeto, bem como a capacidade de implantação da equipe de profissionais envolvida dentro de um contexto sócio-cultural-econômico estabelecido no universo do escopo dos trabalhos.

Assim, antes de iniciar qualquer ação concreta, é necessária uma reflexão teórica acerca de diversos aspectos de concepção, implantação e operacionalização dos trabalhos, além de ser de fundamental importância a documentação da mesma, de modo a ser possível uma estruturação lógica dos conceitos envolvidos, além de facilitar a correta propagação dessas ideias e conceitos entre todos leia mais

Sua empresa conhece o Haka?

por gestão 0 comentários O Haka é o conjunto de danças Maori usadas para diversos fins, entre eles intimidar, desafiar e mostrar desprezo aos rivais através de movimentos fortes, ritmados, viris e irônicos executados em conjunto com palavras de ordem e elevação. Os aborígenes da Nova Zelândia criaram essas danças para que um grupo inteiro possa se expressar em uníssono a fim de transmitir uma mensagem forte e poderosa, trazendo um impacto psicológico severo em quem as executa e em quem as assiste. Em uma situação de iminente desafio, o Haka é usado na Nova Zelândia para tornar coeso e focado o grupo de combate, potencializando as ações de seus membros e abalando o moral dos rivais com gestos e palavras de ordem. Quando vários fazem a mesma coisa, perdem a sua individualidade (e suas fraquezas) e passam a ser apenas um só, tornando-se um inimigo muito maior que se bem coordenado, passará a ser o conjunto das virtudes de seus componentes e terá como pontos fracos apenas aqueles que perpassarem por todos. Dentro das empresas, os inimigos e obstáculos são os mais diversos: concorrência, deficiências internas, cenário econômico, metas de crescimento, mudanças de padrão de consumo etc. Tudo isso faz com que o gestor tenha leia mais

Os 3 fatores para fechar um ótimo contrato

por desenvolvimento pessoal, gestão 0 comentários Para que um ótimo contrato seja fechado é preciso um excelente produto, argumentos sólidos e coragem. Ao se preocupar com as necessidades de seu cliente, estudar os seus problemas, identificar as suas melhores soluções e expô-las de forma elegante, coerente e concisa, com justificativas impactantes e sem receio de apresentar os seus custos compatíveis o vendedor tem altas chances de sucesso. O primeiro passo é ter em mãos uma oportunidade que o mercado se interesse, que possa ser oferecido ao cliente e que efetivamente solucione determinado problema e atenda as suas necessidades de forma diferenciada, eficaz, confiável, implantável em tempo adequado e com custo compatível com o seu retorno. Porém, para que exista o contrato fechado, não basta apenas ter nas mãos um ótimo produto, é necessário ter na cabeça argumentos impactantes que transmitam ao cliente todas as vantagens e as soluções que serão trazidas através desse negócio. Pesquisar sempre sobre o seu nicho de mercado, sobre os acontecimentos no universo que a sua empresa está inserida e principalmente sobre o entorno da empresa que se pretende fechar o contrato. Depoimentos de clientes, selos de certificação de excelência e parcerias estratégicas completam o conjunto de argumentos interessantes para vender bem o seu leia mais
Pensamento Estatístico na Gestão Estratégica por estatística, gestão 0

Pensamento Estatístico na Gestão Estratégica

Os dados, através de seus padrões e comportamentos, nos revelam informações imprescindíveis acerca do mundo que nos cerca. Constantemente, mais e mais conjuntos de números são gerados e solicitam que sejam analisados, compreendidos e transformados em informação. Com os adventos da computação e da comunicação, atualmente temos rápido acesso a uma infinidade de números e podemos gerar uma quantidade incrivelmente grande de novos valores dentro de nossas esferas de atuação social (trabalho, família, etc.). Essa “hiperventilação”* numérica, que defino como hipernumeração, aproxima de nós a necessidade de aprendermos a nos orientarmos dentro desse vasto universo, através de técnicas e instrumentação voltadas para a descrição e localização dos dados relevantes; a selecionarmos e auditarmos com vistas na confiabilidade e representatividade; e a interpretarmos os dados isoladamente e dentro de suas micro, meso ou macroestruturas e redes de relacionamentos, estabelecendo pontes lógicas e regras de encadeamento e ordenação. * Estabelecemos essa aproximação da gestão do conhecimento com o conceito de hiperventilação (exposição a uma quantidade enorme de ar, o qual pode levar uma pessoa ao sufocamento), pois não raro encontramos situações em que as pessoas encontram-se defronte a massas gigantescas de dados, sendo humanamente impossível analisá-los em sua totalidade, através de todas as suas

Sua empresa tem um site?

por gestão 0 comentários Nos últimos anos, percebo que os pequenos e médios empresários começaram a se preocupar de forma mais consistente na estruturação de sua comunicação digital, basicamente criando seus sites e investindo timidamente no Adwords do Google. O ponto negativo é que em conjunto com esses novos sites, encontramos diversas páginas obsoletas criando um universo virtual ainda heterogêneo. Essa constatação é muito boa para todo o ramo de comércio e serviços, uma vez que demonstra uma tendência na evolução do pensamento do empresário brasileiro frente às novas tecnologias disponíveis, levando para outro nível as relações entre a cadeia produtiva e o consumidor. Utilizar uma grande vitrine 24 horas, com baixo custo e facilidade de acessos aos clientes, deixou de ser exclusividade de grandes empresas e passou a fazer parte também das preocupações das pequenas e médias. Vejo que o problema encontra-se na forma que isso vem acontecendo. Desde o início da Internet, algumas pequenas e médias empresas vem se aventurando nesse novo e misterioso mundo virtual. Por não ter capital para contratar grandes agências, essas empresas menores acabaram fechando negócio com profissionais autônomos, que não possuem em sua grande maioria, envergadura técnica e capacidade de relacionamento comercial capaz de atender a todas as demandas inerentes leia mais

As vantagens das agências full service

por gestão 0 comentários Frequentemente vemos no mercado empresas que contratam diversas agências para que cada uma delas cuide de uma parte de sua comunicação. Um fornecedor para as mídias impressas, outro para Campanhas Google, um terceiro para desenvolver e atualizar o site e assim por diante. Tudo isso gera um conjunto de parceiros que além de oneroso e traz diversas dificuldades de gerenciamento e manutenção de uniformidade nos serviços. Com a profusão de serviços de divulgação online, nasceu a necessidade de existir agências que pudessem centralizar as contas das empresas. Uma agência de comunicação é chamada de full service quando apresenta aos seus clientes esse conjunto completo de soluções, sendo capaz de desenvolver trabalhos em todas as áreas críticas de exposição de uma marca, produto ou serviço para o seu mercado. Assim como uma orquestra precisa de um regente competente, conhecedor de cada instrumento, com um ouvido aguçado e com um profundo conhecimento da peça que está executando, uma empresa que se preocupa com todas as vertentes de seu diálogo com o seu público-alvo necessita de uma agência que tenha em mãos um conjunto completo e aprofundado de diversas ferramentas e saiba lançar mão delas no momento certo, de acordo com uma estratégia pré-definida e com leia mais

Hatun

por gestão 0 comentários Hatun, significa em árabe a “grande dama”, e é o nome dado à primeira esposa de um sultão que, naturalmente, possuía todas as regalias e poderes inerentes à sua posição, além de todo zelo que ela é tratada. Todo negócio também a sua grande dama, que é o seu nicho de marcado mais importante, aquele que sustenta as outras incursões no mercado da empresa, porém muitas vezes não é dada a devida importância a ele, ou pior, nem sabe da sua existência. Muitas vezes chamada de Santuário de Lucros, essa fatia da clientela que é fiel consumidora, que tem um vínculo afetivo com a marca, que corresponde financeiramente com os interesses do núcleo do negócio de uma empresa deve ser tratada com todo cuidado e atenção em todos os níveis de uma estrutura empresarial. Além disso, ela deve ficar atenta aos movimentos da concorrência em eventuais avanços em seu Santuário. O empresário deve estar sempre atento aos fatores internos e externos que podem de alguma maneira interferir nesse grupo de consumidores e agir rapidamente quando existe alguma ameaça ou oportunidade. Identificar esse nicho, protege-lo e amplia-lo é o desafio de todo gestor pois tratar bem a sua dama é fundamental, ela merece leia mais

Dinheiro virtual, ganhos reais

por gestão 0 comentários Uma nova onda vem ganhando força na Internet, o dinheiro virtual. Um sistema de pagamentos livre de dinheiro físico, onde os usuários enviam moedas virtuais em troca de serviços ou produtos. Por sua vez, os vendedores trocam essas moedas por dinheiro físico ou as utilizam como pagamento por outros serviços ou produtos. Empresas como PayPal (www.paypal.com.br) e a e-Gold (www.e-gold.com) são exemplos de intermediadores desses pagamentos, que tornam o capital mais barato e distributivo, uma vez que nessas transações não incorrem impostos, taxas, processos inflacionários governamentais, flutuações cambiais além de ser possível enviar remessas de valores para qualquer parte do globo instantaneamente. Recentemente a nova febre da Internet é o BitCoin, um sistema de troca de moedas virtuais que se diferencia do restante das empresas por conta do fato de não haver uma relação direta com moedas de verdade e que o lote de capital disponível é limitado e distribuído de forma paulatina à rede. Esse sistema descentralizado, apresenta um vasto campo para prosperar porque apresenta características semelhante à Internet (e aos internautas) que prima por ser um ambiente livre de controles e que se molda à medida que as pessoas começam a interagir, muito parecido com a leia mais
Top